A Casa da Arquitectura acolheu até 28 de abril de 2019 a exposição Infinito Vão – 90 Anos de Arquitetura Brasileira que teve curadoria de Fernando Serapião e Guilherme Wisnik.

A exposição congregou 90 projetos de autores fundamentais para a compreensão da produção brasileira, sendo metade referentes ao período moderno e as restantes ao período contemporâneo. Acompanhada por uma extensa programação paralela, com cocuradoria de Nuno Sampaio, diretor executivo da CA, contemplou atividades em Portugal e no Brasil.

Infinito Vão – 90 Anos de Arquitetura Brasileira’ é o nome, inspirado na música e na voz de Gilberto Gil, da exposição que a Casa da Arquitectura (CA) – Centro Português de Arquitectura inaugurou a 28 de setembro 2018, com curadoria de Fernando Serapião e Guilherme Wisnik. A mostra foi acompanhada por uma extensa programação paralela, com cocuradoria de Nuno Sampaio, diretor executivo da CA, que contemplou atividades em Portugal e no Brasil.

”Infinito Vão” foi resultado de um processo de dois anos de trabalho que a Casa da Arquitectura levou a cabo no Brasil, reunindo um património com mais de 200 doações que vai integrar o acervo permanente da Casa.

A Coleção Arquitetura Brasileira, a mais representativa realizada nos últimos anos, é constituída por 103 projetos e mais de 50 mil elementos entre desenhos, fotografias, documentos textuais, filmes, maquetes, cerâmicas, entre outros.

A coleção materializa dois objetivos fulcrais: fomentar estudos de especialistas no tema, podendo ter o seu acervo consultado por pesquisadores; e compor futuras exposições do acervo da Casa da Arquitectura, somando-se à galeria de autores ‘residentes’ como Eduardo Souto de Moura, Paulo Mendes da Rocha, Álvaro Siza Vieira, Pedro Ramalho e João Álvaro Rocha, entre outros.

© Acervo Casa da Arquitectura
© Acervo Casa da Arquitectura
© Acervo Casa da Arquitectura
© Acervo Casa da Arquitectura
© Acervo Casa da Arquitectura
© Ana Ottoni

Curadores

Guilherme Wisnik

Guilherme Wisnik (1972) é professor na Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo em Regime de RDIDP. Editou o volume 54 da revista espanhola 2G (2010) sobre a obra de Vilanova Artigas, e publicou ensaios em livros como Brazil’s Modern Architecture (Phaidon, 2004), Álvaro Siza modern redux (Hatje Cantz, 2008) e O desejo da forma (Berlin Akademie der Künste, 2010). Foi o Curador Geral da 10ª Bienal de Arquitetura de São Paulo (2013).

Fernando Serapião

Fernando Serapião (1971) é fundador e editor da Monolito, publicada em São Paulo desde 2011 e premiada pela 10ª Bienal Iberoamericana de Arquitectura (2016). Escreveu mais de uma dezena de livros, como Guia de Arquitetura de São Paulo (Viana & Mosley Editora, 2005), que recebeu o 7º Prêmio Jovens Arquitetos (Museu da Casa Brasileira/ Instituto de Arquitetos do Brasil/São Paulo), e A arquitetura de Croce, Aflalo & Gasperini (Editora Paralaxe, 2011), ganhador do prêmio Jabuti. Foi responsável pelas curadorias das exposições “Nove Novos”, no Museu de Arquitetura de Frankfurt, e “10+10”, em Viena, no Architekturzentrum Wien.

Nuno Sampaio

Diretor-executivo da Casa da Arquitectura desde 2014, Nuno Sampaio foi membro do Conselho Diretivo Nacional da Ordem dos Arquitectos, de 2008 a 2010 e júri em diversos concursos de arquitetura onde se destacam os Prémios FAD 2013. Foi Vice-presidente da Associação “Trienal da Arquitectura de Lisboa”, de 2010 a 2021.